learnex

Amarildo Félix

AMARILDO FÉLIX

 

Amarildo Felix nasceu em Aracaju/SE, mas desde de 2008 vive em São Paulo, terra que aprendeu a amar. Hoje não se imagina vivendo em outro lugar que não a cidade cheia de garoa, gente, sonhos, clima inconstante, gás carbônico e projetos. Veio para São Paulo estudar teatro e se formou na Escola de Arte Dramática – EAD/ECA/USP, é formado ainda em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP e em Dramaturgia pelo Núcleo de Dramaturgia SESI/BRISITH COUNCIL. Estas formações servem para
alimentar o seu amor pela escrita, que nasceu aos 14 anos de idade após a descoberta do real impacto da poesia. A poesia fez brotar no peito o desejo de ser poeta. Amarildo Félix segue tentando. Sotaque/Sintoma é o seu primeiro livro de Poesia.

 

Contatos:

 

 

 

Conheça 5 poemas do livro Sotaque / sintoma, de Amarildo Félix:

 

QUÂNTICO

 

cheguei
e
ao mesmo tempo
estou quase lá

aviso:
cheguei para ficar

 

***

 

LAR

 

I

 

já posso ouvir
a brisa
afinada
do quintal de casa

 

II

 

a casa da gente
é onde a gente
encontra cheiros
do nosso passado

 

***

 

 

MÃINHA

 

mãinha é uma palavra oca
cabem muitas palavras dentro da palavra
mãinha
é um significante aberto, cheio de possibilidades
cabem muitas palavras dentro da palavra mãinha
cabe dentro dela todos os irmãos
do mais velho, a única irmã, o mais novo
cabe todas as duas sobrinhas
cabe a avó, o avô que não conheci, cabem todas as tias
cabe a imensidão do mar, o café da tarde, o céu azul
cabe o suco de caju, a manteiga do estado, o bolo de ovos
os móveis antigos de madeira maciça que nunca saem do lugar
cabe dentro da palavra mãinha toda Aracaju
pois mãinha é um significante aberto
cabe tudo dentro desta palavra
(e tudo é mesmo uma palavra muito grande)
coube a mim escrever este poema
para que as palavras continuem cabendo em mim
preciso deste significante maior e aberto
poesia é mesmo sotaque de origem
(lugar sempre de partida e nunca de retorno)
guardo esta palavra como uma oração
pois poesia é mesmo sintoma
de algo muito maior e impossível de ser escrito
coube a mim escrevê-la
escrevo, descrevo

apenas transcrevo todo o amor que não cabe e por isso transborda
escrever é uma forma de cantar
canto para que ela continue

 

***

 

DOMINGO

 

entregue à preguiça
meu corpo está
ao seu corpo agarrado
espero que nada aconteça
e tudo permaneça
dilatado como está
o entre o sono e o transe
nos guiam
a pensamentos ainda
sem linguagem
tempo em espera
imagem congelada
quadro impressionista
domingo depois do almoço
cabeça junto ao peito
e somente o barulho
espontâneo das vísceras
(nos introjetando intimidade)
o latido do cachorro vira-lata
e a música singular
do vendedor de cavaco chinês
rompem o silêncio

 

***

 

DEUSES

 

da gama de versos que leio
os que mais admiro
são aqueles intervalados
de silêncio
versos no meio seio

 

 


 

 

Livro: Sotaque / sintoma

Autor:
Amarildo Félix

Gênero:
Poesia

Número de Páginas:
80

Formato:
14x21

Preço:
R$ 38,00 + frete (Livro em pré-venda, entrega após o lançamento. Amigos e leitores de todo o país que realizarem a compra antes do lançamento receberão o exemplar autografado após o evento. Imperdível!)