learnex

Alexandre Marino

ALEXANDRE MARINO

 

 

José Alexandre Gomes Marino, mineiro de Passos, publicou Exília (Dobra Editorial, SP, 2013); Poemas por amor (Varanda, DF, 2007); Arqueolhar (LGE Editora, DF, 2005); O delírio dos búzios (Varanda, DF, 1999); Todas as tempestades (Belo Horizonte, 1981), e Os operários da palavra (Batanguera Ed., Belo Horizonte, 1979), todos de poesia. Tem contos e poemas em periódicos impressos e virtuais do Brasil e exterior. É jornalista e publicitário. Vive em Brasília, onde atuou como repórter nas redações do Correio Braziliense, Jornal de Brasília, Jornal do Brasil e O Estado de S. Paulo. Atualmente é funcionário do Ministério da Educação. Mantém o blog Poesia Nômade (www.alexandremarino.com.br) e, no Facebook, a página Alexandre Marino Poeta (@poetaAlexandreMarino), exclusivamente sobre poesia.

Contatos:



Conheça 5 poemas do livro Hiatos, de Alexandre Marino:





Ecocardiograma



Ali se guarda toda a tristeza do mundo,
labirinto onde o homem feliz se esconde.
Túneis se abrem e fecham para algum destino,
sou eu mesmo que me agito nessa turbulência.
Entre fluxos e refluxos o universo se expande,
vinda de outras órbitas monótona melodia.  
Tambores marcam ritmo de dor ou súbito prazer,
um rio indócil dá vida ao moinho da agonia.
Moto-contínuo de sonhos e choros,
cacos de amor espalhados nos porões
e a solidão adormecida nas escadarias.
Nada é visível entre cavidades suburbanas
por onde fluem segredos e silêncios
e o mundo se derrama.



***



Fótons


Entre a luz e a escuridão,
fótons e elétrons em transe,
alumbres recriam meu corpo
além da triste figura
que enfrenta a miopia,
a solidão, a penúria,
em busca do negativo de mim
feito de hologramas e fantasmas
das imagens que vislumbro
no rubor da câmara escura.



***


A crença imóvel



O amigo observa teu rosto sereno
e pensa em tocar as tuas mãos.
Mas qualquer gesto é aparência
e até o pensamento é inércia.

O planeta deixou de girar
e a lua cheia anunciada
permanecerá ausente
nos próximos séculos.

Todo o conhecimento
se perdeu
no mesmo pântano
onde enterraram as tuas crenças.

Que silêncio é esse,
que ódio é esse,
perdido em olhar antigo?

Poderia ter ficado uma cicatriz
em mão amiga,
mas cicatrizes também esvanecem
e o futuro não se decifra.

A tua presença no mundo
é apenas breve hiato
na eterna ausência.


***



Anêmicos fantasmas

Em memória de Leonard Cohen

 

Meia-noite sobre a solidão imensa,
a lua cheia espia entre nuvens de chuva.
Um velho bastardo metido em um terno
aparece e desaparece na rua devoluta.

Boa noite, senhor,
meu improvável sussurro.
Talvez eu seja ilusão ou miragem.

Faz frio mas há um calor intruso,
suores nas mãos e tremores na fala.
No meio da rua ninguém testemunha
o encontro de anêmicos fantasmas.

A lua é sublime, o velho murmura,
recolhe o chapéu contra o peito
e reverencia a noite imóvel.

É estranho não haver neve,
mas me agrada o deserto escuro.
Sigo em busca de algo além do humano
em paragens onde não me procuro.

Bêbados, faunos, seres da noite
brindamos às sombras luzidias.
Cantarolamos nebulosa melodia,
enfim livres como corujas no fio.


***

 

O colo da terra



Não quero. Eu já disse que não quero,
não quero ipês, flores ou asfalto,
nem um céu maior que a cidade,
obra de arte sobre minha cabeça,
não quero chorar ao pôr do sol.

Linhas retas, nó cego, labirintos,
aviões manchas no azul,
verde cor da terra.
Eu quero a lembrança, aquela abstrata,
por isso digo que te amo,
por isso minto,
e me recolho à dor dos que erram.

Não me ofereces o mar.
Mas não quero o mar.
Nem mesmo o horizonte,
grande demais para um pequeno homem.
Já me pesam muitos medos.
Basta-me um colo onde me caiba
cercado da ilusão de montanhas
que recolham meus segredos.
Solitárias estradas,
e o sonho dos que não esperam nada.

 

 


 

 

Livro: Hiatos

Autor:
Alexandre Marino

Gênero:
Poesia

Número de Páginas:
100

Formato:
14x21

Preço:
R$ 38,00 + frete (Livro em pré-venda, entrega após o lançamento. Amigos e leitores de todo o país que realizarem a compra antes do lançamento receberão o exemplar autografado após o evento. Imperdível!)