learnex

Nathalia Campos

NATHALIA CAMPOS

 

 

Autora do livro de poemas Desinfinito (Patuá, 2017), Nathalia Campos nasceu em Belo Horizonte, em 1986. É doutoranda em Estudos Literários pela UFMG, professora, revisora e cantora. É uma das poetas contempladas na Antologia Inventar la felicidad – muestra de la poesia brasileña reciente (2016), organizada por Fabrício Marques e Tarso de Melo. Desinfinito é seu livro de estreia na poesia.

 

 

Contatos:

 

 

 

 


Conheça 5 poemas do livro Desinfinito, de Nathalia Campos:






Escuta

 

o torso de uma mulher na sombra
e o riso quebra-vidraça dos clichês
(as areias que lhe carnificinam para ver o que tem dentro)
ouça-a, senhor
com olhos dos que sabem esculpir
ei-la
ali
na completa solidão de um piano mudo
a tomar desjejum com figos pingados de praga e café morno
a curvatura poente
– em lençóis –
a desembaraçar coágulos nos pés
jugular a chamar por um vampiro
relógio a arfar
avariado
secretamente vivo

Pinta-lhe
(toma o meu carvão amortalhado)
a zanzar suas pestanas violáceo-raro
por uma manhã ao meio-dia
sobre as pedras temperadas
de uma casa assobradada
no coração de uma fera



***



Só os cães amam plenamente

 

amar de novo é ler um livro com os grifos de outr(em) (ora)
dormir num quarto de hotel desarrumado
calçar o sapato de um morto
limpar digitais
beber café passado
exumar sorrisos
desfolhar bem-mal-quereres
alvejar lençóis
cultivar um selvagem num aquário
fazer fartura com as sobras
etc.

Você me sabe a pão quente



***


Pássaro para Dalí

 

Ontem um fogo lambeu a noite
com o mesmo carvão que lambeu a casa
na sala o tapete encobriu as cinzas
que tingiram
o branco trágico dos avessos
descobri a causa do incêndio na cabeça inflamada
impermeável a aspirinas

Arde a fênix na recém-colorida manhã



***



Rotina

 

Nuvens se adensando em feras góticas
é a chuva que se desacaba sobre os maus
e sobre os bons
tragados por seus balaios e horas
só eu estacionei
– pernas –
pra gozar o contratempo
sob a marquise
impunemente
brincando de gente



***



TEMA

 

Aprimora os pulsos e adora-te até o avesso
põe os pregos no teu drama
e estira o corpo aqui dentro
faz logo um estrado pra essa mania de doer
o amor justifica aquela
embriaguez
vai se recapitulando pela linha telefônica
vem arengando
até dar nisso
e uma família de aflições siamesmas
também reclama o bocal do registro
participo num viver bruto
que confunde as estações
e luxo:
afino o timbre do desejo
– vaga de sujeito e sem aplauso –
já sou quase um mau romance

A rua me suja as unhas

 

 


 

 

Livro: Desinfinito

Autor: Nathalia Campos

Gênero: Poesia

Número de Páginas: 114

Formato: 14x21

Preço: R$ 38,00 + frete