learnex

Dagmar Braga

DAGMAR BRAGA

 

Autora do livro de poemas Arqueologia (Patuá, 2016), é natural de Pitangui (MG), reside em Belo Horizonte. Professora, dedica-se à promoção de Oficinas de Literatura. Criou e gerencia, desde 2006, o Espaço Cultural Letras e Ponto, onde acontecem oficinas, encontros, exposições, palestras, saraus, debates e degustações de peças artísticas - nos domínios da Literatura, da Música, do Teatro, do Cinema ou das Artes Plásticas. Organizou as antologias Noites de Terça (2007) e Oficina da Palavra (2011), com trabalhos desenvolvidos em oficinas. Tem textos publicados em  antologias, jornais, revistas e sites literários. Em 2009, foi finalista do Prêmio Jabuti, com Geometria da Paixão (poesia).

 

Contatos:

 


Conheça 07 poemas do livro Arqueologia, de Dagmar Braga:

 

 

A louca


imersa na esperança
ela recolhe
cada rasto de ódio

aspira à borboleta e a suas asas
acalentando no riso
a semente
de um outro dia

brinca de sedas
e jasmins na tarde que antevê a sombra
o muro    

deitada em verso branco
a louca rima
seu desvario
com o meu absurdo

 

***


Arqueologia



removo o pó dos sonhos
convoco oráculos
.......deuses
.................pitonisas
remonto a um passado
indecifrado
..........labiríntico

descerro véus
..........– é tua esta sentença?


como dói escavar este argumento
o nó        o laço        o texto

quando somos nós mesmos
subterrados

 

***

 

Desejo


dentro de mim mora um vulto
que me assombra
que me arrasta

que me deita garras fétidas
que me incita
que me adula

dentro de mim mora um vulto
que inaugura tempestades
e suas asas de fogo

 

***

 

Inventário


eu te dou de presente
esta memória

– nuvens e sinos no entrecorte de vales –

um sonho redimido
entre paredes caiadas
unguentos
maldizeres

esta noite insone que me arrasta
e o despudor
..................do corpo

afeito ao teu desejo e desatino

 

***

 

De repente


de repente    assim    como improviso
tudo se desintegra –
a lua a noite o quintal e seus grilos
nosso desejo pássaro
nossa magia e sede


não há poção capaz de devolver a luz
à nossa fala
grunhidos e silêncios devastam
memória e sonho
em caminhos de sal     de pedra


não há derrota     emergência
ou  sinal de fumaça a reclamar socorro –
de quem? de quê? a quem?
por quê? pra onde?
se tudo é roto    desarvorado e manco?

 

***

 

Solidão



para onde foi o meu olhar
viajante de um tempo sem moinhos?

todas as utopias
desfeitas no vento

cosmo palavroso

órbita vazia
alcanço o corpo
desmedrado      refratário ao beijo

tão inconciliáveis os espíritos!

 

***

 

Desalento



teus dentes    teu desejo
fúria que tua pele mansa
não disfarça

tua voz de seda
ardendo
em meus ouvidos

tua fome inexata
devorando sóis e luas
na fratura da lembrança


e a noite se insinua
no corpo afeito à solidão

nada que eu possa dizer do teu amor
inventará o amor que seja nosso

 


 

 

Livro: Arqueologia

Autor: Dagmar Braga

Gênero:
Poesia

Número de Páginas:
96

Formato:
14x21

Preço:
R$ 38,00 + frete