learnex

Daniel Perroni Ratto

DANIEL PERRONI RATTO

 

 


Autor, pela Patuá, dos livros de poemas Vozmecê (Patuá, 2016) e Marmotas, amores e dois drinks flamejantes (Patuá, 2014), Daniel Perroni Ratto de Morais da Costa, nasceu em São Paulo no ano de 1976. Recém-nascido, foi para Fortaleza com seus pais. No Ceará, em sua infância, conviveu num ambiente cheio de arte, música e poesia. Fagner, Fausto Nilo, Francis Vale, Wiron Batista, Manasses, Sérgio Redes, Capinan, Marciano, Teti, Rodger Rogério, Antônio José Silva Lima, Neno Cavalcante, Petrúcio Maia, Ednardo e tantos outros faziam parte desse ambiente em que seus pais viviam.

No ano 2000, aos vinte e quatro anos, Daniel Perroni Ratto tinha voltado à São Paulo havia dois anos. E nesse mesmo ano ele lançou seu primeiro livro de poesias, intitulado Urbanas Poesias pela editora Fiúza. Nesse momento Daniel se lançou por São Paulo, vendendo seu livro onde pudesse. Na Avenida Paulista, em frente aos cinemas culturais da Rua Augusta, nas feiras como a da Praça Benedito Calixto. Nesta praça em especial, Ratto conheceu o projeto Autor na Praça, idealizado por Plínio Marcos e comandado por Edson Lima. Fizeram então o projeto Autor na Noite onde o livro Urbanas Poesias estava sempre presente nas melhores baladas da época.

Daniel Ratto fez diversos programas de TV, porém, o Musikaos, na TV Cultura, de Jorge Mautner e Gastão Moreira e o Calçadão na TV Bandeirantes, da Luciana dias, são os que Daniel guardou com maior carinho. Além de Daniel ter declamado uma de suas poesias, na primeira participação no programa Musikaos, numa segunda participação, Jorge Mautner declamou a poesia Afrobahidade, do livro Urbanas Poesias.

Daniel participou das bandas Loco Sapiens, Criolo Branco e Luz de Caroline, desta última, sendo um dos criadores.

Em 2012, Daniel lançou o livro Marte mora em São Paulo pelo selo A Girafa, do Grupo Editorial Escrituras, com orelhas escritas pelo tropicalista José Carlos Capinan, apresentação da doutora em literatura, Joana Rodrigues e prefácio do cineasta Francis Vale.

Atualmente, Daniel Perroni Ratto é pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela ECA/USP. Professor de Cultura Brasileira, Jornalismo Cultural, Gestão de Negócios e Turismo. Escreve como Jornalista Colaborador na editoria de música do portal de cultura www.culture-se.com. Colabora ainda com crônicas para o Jornal Diário do Nordeste. Faz parcerias de composição com algumas bandas promissoras na cena paulistana. Daniel é ainda, Servidor Público Federal.


Contatos:

Skook de Algarobas Urbanas


Conheça 3 poemas do livro Vozmecê, de Daniel Perroni Ratto:

 

Très bien en tu cuerpo nu



VoZmecê votre bouche il est ardiendo

de deseo to kiss the poetry ce corps



No recuerdo me ademas

responsable no terrible

Forquilha gene premissa

I don’t think that avec



C’est la vie Pourquoi gene

Savá dumont ne pas

En qualquer sociedad

averigua la amour



E não conjuro

Dignité esponja pâté

La universidad del corazón

me permite enxergar

los seios rijos



Hermanos Frequentes

Muchachos presenting

Calefações Move

Continuous fasting

 

Bêbado fico en la situación

Yo no voy hablar in

anything language

but hay de hacer

trocadilhos em all trilhos



Talk to me please

talco em mim

como nuvens que sublimam



Collection of the piedras flying



Noches de words revigorantes

i will go a veces para el sonhos

teus ojos brilhantes

deixam-me só em prantos

 

***

 

Último drink antes da música acabar

Onde iremos parar,
Com essa coisa
de ser e estar?

Nas cadeiras
da sala de estar
Meus pensamentos
lá na mesa de bar.


Quisera um sono resplandecente
tomei conta do acaso
na estrada de piçarra, acidente
joguei fora o bagaço


Queria mais objetos de luz
nessas névoas contemporâneas
Meteria as balaclavas
nas peças instantâneas


Me jogo naquela canção brega
fim de noite,
nem sei quantos copos
estiveram na mesa
nem sei quantas mulheres
estiveram na cama


No último acorde do Wando
naquele teclado triste
melancólica noite
nem sei quantos outros
estiveram na mesa
nem sei quantas horas
estiveram em mim.

 

***

 

Manifesto das Trincheiras


Que venham perseverar
mais poetas no mundo
e não importa a crítica
das vozes obtusas a dizer
que existem versos em demasia


Aos que no coração
vive o avaro
como religião
onde a estrofe é idiossincrasia
a flagelação é doença autoimune


Para estes
tem que ficar claro
Jamais terá o ambiente
saturação de poesia


Conheça 3 poemas do livro Marmotas, amores e dois drinks flamejantes, de Daniel Perroni Ratto:

 


Coisas do amor


uma

menina linda que

inspirou o poeta até o fim de seus dias...

e que a sua alma

sinta a poesia

porque ele

escreve em cadernos

de psicografia


***


Inveja



Casal adorável aquele da praça

Caminhando tranquilamente

Nem percebiam o mundo ao redor

Parecia um universo paralelamente

Melhor


***

 

Viés



As vontades do mundo
Não são as mesmas suas
Saio por aí, Deslumbro.
Revejo as hélices flácidas
do amor perdido
Em ações Tácitas.
Drones caçam amores
Sentinelas máximas
dos phones e pequenos favores

 

 


 

 

Livro: VozMecê

Autor: Daniel Perroni Ratto

Gênero: Poesia

Número de Páginas: 132

Formato: 14x21

Preço: R$ 38,00 + frete

 

 

 

 


 

 

Livro: Marmotas, amores e dois drinks flamejantes

Autor: Daniel Perroni Ratto

Gênero: Poesia

Número de Páginas: 120

Formato: 14x21

Preço: R$ 37,00 + frete