learnex

Emmanuel Santiago

EMMANUEL SANTIAGO

 

 

Autor do livro Pavão Bizarro, Emmanuel Santiago nasceu em 1984, em São Lourenço/MG, o terceiro menor município do Brasil; as montanhas da Serra da Mantiqueira apertavam-lhe os calos. Com dezoito anos, foi morar em Mariana, a primeiríssima cidade de Minas. Lá passou quatro anos emparedado vivo pela Serra do Espinhaço, reclamando da vida com Cláudio Manuel da Costa em frente à Igreja da Sé e voltando bêbado para a casa com Alphonsus de Guimaraens. Por cerca de dois anos, foi confidente de Tomás Antônio Gonzaga, que andava de cabeça virada por conta de uma tal de Marília. Atualmente, reside em Jacareí/SP, entrincheirado no centro da cidade. Tem esposa, cinco gatos e algumas centenas de autores (muitos deles mortos) enfiados numas estantes. Depois de cinco anos de intenso convívio, cortou relações com Guimarães Rosa — por razões políticas — e hoje priva da intimidade dos poetas parnasianos, dos quais gosta de flagrar os desvios sexuais.

 

Contatos:

Skook de Algarobas Urbanas

 

Conheça 04 poemas do livro Pavão Bizarro, de Emmanuel Santiago:

 

 

A fábula de Fabergé




Se Olavo Bilac procura
a palavra polida feito
a pérola (escafandrista
pescador de esmeraldas
na espuma das estrelas)
é para depois prepará-la
dissipando as impurezas
da prosódia, de modo que
a melodia soe cintilante
em ouvidos de ourives.

Mas, ao comparar-se ao
ourives, talvez sonhasse
as engrenagens de um Fabergé,
onde o sublime se processa
preciso e precioso, pois
enquanto outros ourives
se ocupavam com ouro,
prata e coisas opacas,
Fabergé fabricava
um pavão bizarro.


***

 

Bailarina



A bailarina gira:
a respiração esquiva
subindo em espirais
e um sorriso equilibrado
na ponta dos pés.

Tensão entre música
e musculatura.

 

 

***

 

Poema bonsai



Podo o poema
pensando num bon
sai, penso-o crescendo
dentro do tempo (mas não
no espaço) como processo.

 

***

 


Origami


à Tati A. Toumouchi





De papel de seda finíssimo,
fiz teu corpo: fibra a fibra
modelado na pétala, forma
de pura textura e volume.

Sobre a límpida e mínima
película, moldei teus seios
em torneios e volutas,
lívidos torvelinhos,

e os dedos se dedicaram
a cada minúcia sinuosa
na delicada dobradura do
sexo, desdobrando lábios
em abismos, labirintos.

Assim te concebo: nua
e toda nuances, criada
da lâmina de sal e espuma
do mar, como as ondas,

que se espiralam peroladas
durante a queda (tens
a idêntica consistência
de uma onda do mar).




 

Livro: Pavão Bizzaro

Autor: Emmanuel Santiago

Gênero: Poesia

Número de Páginas: 115

Formato: 14x21 - acabamento em capa dura

Preço: R$ 35,00 + frete